Que Brasil é Esse? Cap 9

Vamos visitar o Sul do Brasil, com seus lugares paradisíacos e pouco conhecidos nas rotas tradicionais do turismo. São verdadeiros paraísos perdidos, que garantem contato direto com uma natureza belíssima.

Estes Artigos irão estimular sua vontade de conhecer melhor o nosso país e a nossa gente.

Talvez exista no mundo um país que reúna tanta beleza criadas pela natureza quanto o Brasil. Entretanto, percorrer este mundão brasileiro de Norte a Sul, onde falamos a mesma língua, preservando-se suas características regionais, por si só já temos um ganho.

 

Ilha de Superagui – PR – Guaraqueçaba

1a mapa

 

1 Superagui

A Ilha de Superagui está localizada no norte da baía de Paranaguá, e é ainda mais calma e rústica que a Ilha do Mel. A Ilha de Superagui faz parte do Parque Nacional do Superagui e é um lugar surpreendente, exótico, com muitas praias desertas, flora e fauna exuberante e vilas de pescadores que concentram as rústicas pousadas e restaurantes!

Parque foi criado em 1989 com a área de 33.998 hectares divididos entre o Vale do Rio dos Patos, no continente e também entre as Ilhas do Superagui, Peças, Pinheiro e Pinheirinho. Áreas onde a pesca é permitida ficam fora do perímetro do Parque, que fica entre o estuário e a Baía de Paranaguá, Iguape e Cananéia.

Os botos nadam pertinho da praia, entre os barcos de pesca ancorados em frente à vila. Se entrar na água, pode até topar com um deles. Durante o verão, é comum ver mães com filhotes na maior tranquilidade.

Alguns animais extremamente raros e até mesmo em risco de extinção como: o papagaio-da-cara-roxa e o mico-leão-da-cara-preta, mas que ficam protegidos na Ilha. Espécies de passáros como tordo, fragata, tucano, biguá e gaivotas migram para o parque anualmente, e dependem do ecossistema para se ajustarem, principalmente no frio do inverno, uma vez que a região fica no sul do país, onde as aves não estão acostumadas. Ao amanhecer e anoitecer é possível encontrar facilmente o papagaio-da-cara-roxa na Ilha do Pinheiro.

 

Ilha do Mel – PR – Paranaguá

2 ilha do mel

 

2a ilha do mel

A Ilha do Mel é uma ilha situada na embocadura da Baia de Paranaguá, no estado do Paraná, sendo um ponto turístico de muita importância no estado. Muitas pessoas consideram que a ilha tem as melhores praias do estado. A ilha, fazendo parte do município, é administrada pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e possui um restrito programa de manejo. Não é permitida a tração animal ou a motor na ilha. Existem muitas áreas onde não é permitida a presença de visitantes. A ilha possui quatro pontos turísticos de destaque: Ao norte a Fortaleza, no centro Nova Brasília e o Farol das Conchas e ao Sul Encantadas.

Lá existem duas comunidades principais, Nova Brasília e Encantadas. A travessia de barco é feita para Encantadas, parte sul, ou Brasília, sendo que essa segunda opção é a que fica mais próxima dos principais pontos turísticos (Farol das Conchas e Fortaleza dos Prazeres), e é onde fica a principal estrutura turística da ilha (pousadas, restaurantes e bares).

Ver artigo completo sobre a Ilha no Post http://conhecendobrasil.com.br/ilha-do-mel/

 

Cataratas do Iguaçu – PR 

3 Cataratas do Iguaçu

 

3a Cataratas

Visitar as Cataratas do Iguaçu é uma experiência de imersão na natureza, através de uma caminhada em trilhas no meio da mata e a proximidade iminente da imensidão das quedas d’água do Rio Iguaçu.

As Cataratas do Iguaçu recebem anualmente mais de 1 milhão de visitantes, sendo mundialmente reconhecidas pela sua beleza. Localizadas dentro do Parque Nacional do Iguaçu, na fronteira entre Brasil e Argentina (nas cidades de Foz do Iguaçu e Puerto Iguazú), possui uma estrutura qualificada para o recebimento do turista, com centro de visitantes, estacionamento, hotel, restaurante, ônibus internos, passeios adicionais, lojas de lembranças, praça de alimentação e trilha de caminhada para acesso às quedas.

Existem duas opções para se conhecer as Cataratas do Iguaçu: pelo lado brasileiro ou pelo lado argentino. São passeios separados, ou seja, para cada um você terá que pagar um ingresso, mas vale o preço, já que são experiências com perspectivas diferentes. O acesso às Cataratas do Iguaçu pelo Brasil, é feito através do Parque Nacional do Iguaçu, e pela Argentina, através do Parque Nacional Iguazú, neste caso é necessário ingressar no país através da Aduana, sendo essencial os seus documentos pessoais.

 

Jardim Botânico de Curitiba

4 Jardim-Botânico-de-Curitiba

 

4a Palácio de Cristal

Marca registrada de Curitiba, foi inaugurada em 1991. É um dos pontos mais visitados de Curitiba criado à imagem dos jardins franceses, estende seu tapete de flores aos visitantes logo na entrada.

A estufa, em estrutura metálica e vidro, abriga espécies botânicas da Floresta Atlântica que são referência nacional, além de uma fonte d’água. O Museu Botânico/Herbário, atrai pesquisadores de todo o mundo. O Jardim Botânico conta ainda com Salão de Exposições e Auditório para apresentação de trabalhos artísticos e científico alusivos ao meio ambiente.

Além da estufa, uma das principais atrações fica por conta do Jardim das Sensações. O espaço visa estimular os sentidos através da experiência envolvendo plantas. Ao longo de um trajeto de 200 metros, os visitantes, com os olhos vendados, têm a possibilidade de tocar, cheirar e sentir a textura de mais de 70 espécies de plantas localizadas no interior do jardim. O passeio é gratuito e pode ser realizado de terça-feira a domingo das 9h às 17h.

Saiba mais em http://conhecendobrasil.com.br/jardins-botanicos-brasileiros/

 

Fortaleza Nossa Senhora dos Prazeres – PR – Paranaguá

5 Fortaleza de NªSª dos Prazeres

 

5a fortaleza

Nas primeiras décadas do Século XVIII eram grandes as preocupações com a segurança de Paranaguá contra os ataques de navios piratas franceses, ingleses e espanhóis que infestavam os mares aprisionando embarcações carregadas de ouro e prata, bem como pilhando e destruindo as povoações costeiras.

A construção de fortificações se tornara uma necessidade para a defesa do porto e da vila. Inicialmente o governo português providenciou para que se colocasse duas roqueiras (antigo canhão de ferro que atirava pedras) na Ilha das Peças

As obras foram iniciadas em 1766 e ganhando forma com os blocos rochosos talhados por mestres canteiros enviados por D. Luiz e que eram cuidadosamente assentados pelos escravos. As muralhas de 1,5 metros de espessura em quatro fachadas foram levantadas até a altura de 7 metros. Nelas, sobre as pedras da base, foram colocadas cinco guaritas salientes. Em 1769, a fortaleza tinha seu portão instalado na muralha norte e também já estavam concluídas as prisões com janelas gradeadas, o aquartelamento, a cozinha, a enxovia, a capela, a Casa do Comando e a Casa da Pólvora. Sobre as plataformas de terrapleno foram instaladas baterias com suas 12 peças que podiam abrir fogo para todos os lados e alcançar embarcações que passassem pelo canal sudeste.

Na última década do Século XVIII a Fortaleza foi relegada ao abandono e seus canhões foram removidos para a Fortaleza de Santos até que, lá pelos idos de 1815, Ricardo Carneiro dos Santos recuperasse o Forte com o aval do Governo. Em um ano foram restaurados os alojamentos, a capela e a Casa do Comando e recolocados os canhões que retornaram de santos. Hoje está definitivamente desativada sendo tombada como patrimônio pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional desde março de 1972.

 

Furnas do Parque de Vila Velha – PR – Ponta Grossa

6 furnas

 

6a furnas

As Furnas são uma das grandes atrações do Parque Estadual Vila Velha, são grandes crateras, uma delas com até 100m de profundidade sendo que a metade dela é coberta por água e todas são rodeadas por uma bela vegetação.

O termo Furna significa caverna, cova, ou “poço de desabamento” que é a definição mais adequada para as ocorrências encontradas nos Campos Gerais do Paraná, na região do Parque Vila Velha existem várias, inclusive algumas em processo de desabamento, e que não podem ser visitadas por questão de segurança.

Ao chegar à furna 1, o turista se depara com um elevador que chegou a ser usado para levar os visitantes até o nível da água. A estrutura está inoperante desde 2001, quando o parque foi fechado para restauração. Mesmo após a reabertura, o elevador está parado por ser considerado inapropriado e poluidor.

Foi instalado, no início dos anos 80, mas já veio usado, então, dava muito problema manutenção, além da questão da poluição e da degradação do arenito, que é uma rocha sensível”, disse o gerente do parque, Cleber Veiga.

Sem utilidade, o elevador atrapalha a vista dos turistas. De acordo com Veiga, existe um estudo para a retirada do elevador do local e a construção de um mirante, porém, não há data para que a proposta saia do papel.

 

Poço do Encanto – PR – Sengés

7 Poço do Encanto

 

7a Poço do Encanto

O Poço do Encanto se localiza numa bonita área de preservação ambiental e assim como o passeio pelo Vale do Corisco, somente é aberto à visitação mediante acompanhamento de guias e monitores ambientais que lhe serão indicados pela INFOTUR telefone (43) 3567-1036

Contemplada por riquezas naturais belíssimas, Sengés é muito conhecida como polo da indústria madeireira, mas tem forte potencial turístico, ainda pouco explorado. Na região, o turista encontra águas límpidas em abundância como rios, riachos, corredeiras, cascatas e belas quedas d’águas, que formam lagos e represas. Cannyons, vales, grutas e florestas completam a paisagem.

Uma pequena lagoa de cor azulada, é uma grande nascente d’água, cujo movimento da finíssima areia no ponto da vertente é impressionante, propiciando “ondas” que deslocam as águas. A área tem um clima misterioso, para isso contribuindo o silêncio do local e o movimento das águas. No seu entorno a vegetação permanece intocada.

O acesso é feito mediante autorização da PISA Reflorestamento.

 

 

 

 

 

Autor: Levy

Compartilhe este artigo no

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *