Museus Brasileiros 3

A importância de se visitar museus consiste principalmente, na oportunidade de conhecer objetos históricos, obras artísticas, múmias e em alguns casos, até mesmo objetos obsoletos que nos permitem a visualização de modos de vida anteriores aos nossos para um melhor entendimento de culturas e eventos importantes da antiguidade.

Do latim museum, um museu é um lugar onde se guardam e exibem colecções de objectos de interesse artístico, cultural, científico, histórico, etc. Costumam ser geridos por instituições sem fins lucrativos que procuram difundir os conhecimentos humanos.

 

Existem, de qualquer forma, museus privados com fins lucrativos. Em todo o caso, os museus consagram-se à investigação, à conservação e à exposição de colecções que tenham um valor cultural.

 

Museu Paraense Emilio Goeldi – PA – Belém

1 M Paraense Emilio Goeldi

 

1a Museu Paraense E G

O Museu é uma instituição de pesquisa vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação do Brasil. Está localizado na cidade de Belém, Estado do Pará, região amazônica. Desde sua fundação, em 1866, suas atividades concentram-se no estudo científico dos sistemas naturais e socioculturais da Amazônia, bem como na divulgação de conhecimentos e acervos relacionados à região.

Apesar da clara necessidade da existência de um museu na cidade, uma vez que na segunda metade do século XIX despontava economicamente por conta da exportação da borracha e, consequentemente, via expandir o movimento cultural, o museu passou por dificuldades por mais de duas décadas.

Av. Gov Magalhães Barata, 376 – São Bráz, Belém

(91) 3182-3200

Funciona de quarta a domingo das 9 às 16:30

 

Museu da Abolição – PE – Recife

Museu da Abolição

 

2a Museu da Abolição

O Museu da Abolição ressalta a importância do passado, debatendo temas como escravidão, abolição, racismo, exclusão e violências. Para isso, dispõe de uma sala de exposição permanente, denominada Memorial, com 39 peças do cotidiano dos senhores e escravos, além de salas de exposições temporárias e miniauditório para a realização de seminários, cursos, palestras e debates, lançamentos de livros, apresentação de vídeos educacionais, entre outros.

Segunda a sexta, das 8h às 11h e das 14h às 17h.

Rua Benfica, 1150

(81) 3228-3248

 

Instituto Ricardo Brennand – PE – Recife

3 Instituto Ricardo Brennand

 

3a Instituto Rocardo Brennand

Situado no bairro da Várzea, no Recife, o espaço é edificado em estilo medieval gótico, formado por três construções distintas: o Castelo, a Pinacoteca e a Biblioteca.

Dedicado ao ramo de negócios, que sua família desenvolvera ao longo dos anos nas indústrias de vidro, aço, cimento, porcelana e açúcar, Ricardo Brennand, em 1990, decidiu vender suas empresas, com o consentimento dos familiares, e utilizar parte dos recursos para fundar o Instituto Ricardo Brennand, o IRB, uma sociedade sem fins lucrativos, presidida pelo próprio empresário.

Além do próprio ambiente diferenciado do IRB, é possível aos visitantes contemplarem exposições que compõem a coleção particular do industrial Ricardo Brennand, com mais de duzentas obras, entre óleos, gravuras e desenhos que retratam as paisagens do Recife, Olinda, Rio de Janeiro, Porto de Santos e Salvador, no século XIX e início do século XX.

De terça a domingo, das 13h às 17h.

R$ 25,00 (Inteira) – R$ 12,00 (meia)

Alameda Antônio Brennand, s/n – São João, Recife

(81) 2121-0365

 

Museu da Gente Sergipana – SE – Aracaju

4 Museu da Gente Sergipana

 

4a Gente Sergipana

O Museu é um museu localizado na cidade de Aracaju. Inaugurado em 26 de novembro de 2011, o acervo foi instalado no antigo prédio do Atheneuzinho, que foi totalmente restaurado pelo Banco do Estado de Sergipe, em parceria com o Governo do Estado, abriga um espaço multimídia de última geração, comparável ao Museu da Lingua Portuguesa e o Museu do Futebol, em São Paulo.

É um museu totalmente tecnológico, a exemplo do Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo. Aracaju é a primeira capital do nordeste a receber um aparelho cultural desse nível, voltado para a valorização da cultura sergipana, mediada pelos recursos de multimídia. O museu é um marco histórico para o Estado de Sergipe.

Av. Ivo do Prado, 398 – Centro

(79) 3218-1551

De Terça a Sexta – das 10h às 16h

Sábado, Domingo e Feriado – das 10h às 15h

 

Centro Cultural Dragão do Mar – CE – Fortaleza

5 C C Dragão do Mar

 

5b C C Dragão do Mar

O Centro é o maior equipamento cultural do Ceará, ocupando uma área de 30 mil metros quadrados no bairro Praia de Iracema, em Fortaleza. O equipamento está vinculado à Secretaria da Cultura do Estado e sob a gestão do Instituto de Arte e Cultura do Ceará (IACC), cujo nome fantasia é Instituto Dragão do Mar.

 

Aberto ao público de terça-feira a domingo, o Centro Dragão do Mar tem a maior parte da programação com acesso gratuito ou a preços simbólicos, com o objetivo de formar plateia nas diversas linguagens artísticas. É um complexo cultural que reúne o Museu da Cultura Cearense e o Museu de Arte Contemporânea para exposições, o Teatro Dragão do Mar, as salas de cinema do Cinema do Dragão – Fundação Joaquim Nabuco, o Anfiteatro Sérgio Motta e o Planetário Rubens de Azevedo.

 

O centro cultural conta ainda com auditório, livraria, ateliê de artes, loja de artesanato e cafés, além de áreas abertas onde são realizados espetáculos musicais, teatrais e circenses, feiras, mostras e programação infantil, como a Praça Verde, o Espaço Rogaciano Leite Filho, a Arena do Dragão, o Espaço Mix e o Espaço Multiuso.

  1. Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema

(85) 3488-8600

Rua Dragão do Mar 81, Praia de Iracema
Aberto ao público de terça-feira a domingo
Terça a sexta-feira: 8h30min às 21h30min
Sábado e domingo: 14h30min às 21h30

(85) 3488.8600 – 3488.8608

 

Solar do Unhão – BA – Salvador

6 Solar do Unhão

 

6a Solar do Unhão

Solar é um sinônimo para mansão, termo muito usado antigamente na Bahia. O Solar do Unhão é um conjunto arquitetônico do século 17. Era um complexo com casa-grande, capela, senzala, armazéns e cais. Tinha como função principal receber e exportar a produção açucareira do Recôncavo. Sofreu várias reformas e ampliações até o século 20.

No início do século 19, o Solar foi alugado e serviu a vários propósitos, como fábricas e depósitos. Em 1943, o conjunto foi tombado pelo Iphan. Desde 1966 tornou-se a sede do Museu de Arte Moderna da Bahia.

O Solar é uma construção do século XVI banhada pela Baía de Todos os Santos e uma das vistas mais incríveis do pôr do sol em Salvador.

O MAM-BA é considerado o principal espaço para a arte contemporânea da Bahia e um dos mais importantes do país, por onde passa um público aproximado de 200 mil pessoas por ano. As suas cinco salas expositivas costumam receber obras de artistas consagrados no Brasil e no exterior.

Avenida do Contorno, s/n – Dois de Julho, Salvador

(71) 3117-6139

 

Museu das Missões – RS – São Miguel

7 Museu das Missões

 

7a Missões

Museu das Missões fica localizado dentro do Sítio Histórico São Miguel Arcanjo, em São Miguel das Missões, cujos remanescentes foram reconhecidos pela UNESCO, em dezembro de 1983, como Patrimônio Cultural da Humanidade.

Por muito tempo, esse foi o único museu dedicado especialmente ao tema “Missões”, sendo que somente anos mais tarde seriam criadas instituições semelhantes na Argentina e no Paraguai.

Seu acervo museológico institucional, composto de imagens em madeira policromada dos séculos XVII e XVIII, representa uma das mais importantes coleções públicas do Mercosul. A coleta desse extraordinário acervo foi realizada, especialmente, pelo primeiro zelador do museu, Sr. João Hugo Machado, o qual, juntamente com sua família, dedicou parte significativa de sua vida aos cuidados com essa unidade museológica localizada fora dos grandes centros urbanos.

Av. Borges do Canto, 242, São Miguel das Missões

(55) 3381-1291

 

Fundação Iberê Camargo – RS – Portro Alegre

8 Fundação Iberê Camargo

 

8a Fundação Iberê Camargo

O edifício-sede da Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre, é um marco para a arquitetura brasileira. Ainda em projeto, ganhou em 2002 o Leão de Ouro, prêmio máximo da Bienal de Arquitetura de Veneza, e foi pauta de inúmeras publicações especializadas antes mesmo de ficar pronto. Lançando mão de inovações técnicas, como o uso do concreto branco, ele soma a impecável execução ao uso nobre: abriga uma coleção de obras-primas do artista plástico Iberê Camargo. Se isso não bastasse, é a obra-prima de um dos mais aclamados arquitetos de nosso tempo.

O prédio branco, projetado pelo português Álvaro Siza, à beira do Guaíba, a construção tem quatro andares interligados por rampas, que circundam o saguão. O acervo contém mais de 5 mil peças do pintor gaúcho Iberê Camargo (1914-1994), apresentadas em exposições que mudam a cada seis meses. Nos outros espaços, promove mostras temporárias de arte contemporânea. Em dias de pouco movimento, um monitor (aqui chamado de mediador) pode acompanhar você até o subsolo, onde um ateliê guarda a prensa alemã usada pelo artista. Há oficinas de arte grátis para todas as idades e um charmoso café anexo, o Press Café, com vista para o pôr do sol. O acesso ao prédio é encerrado 30 minutos antes do fechamento da Fundação.

Av. Padre Cacique, 2000 – Cristal

(51) 3247-8000

Terça e quarta, das 12h/ às 19h, quinta, das 12h às 21h, e sexta a domingo, das 12h às 19h

 

Museu de Ciências e Tecnologia – RS – Porto Alegre

9 M de Ciências e Tecnologia

 

9a M de Ciências e Tecnologia

Foi inaugurado no dia 9 de dezembro de 1998. É um dos maiores museus interativos de ciências naturais na América Latina, propondo atividades para todas as idades e mostrando áreas de experimento-atrações sobre o Universo, a Terra, Ambiente e o Homem, dentre outros.

A área de exposição permanente ao público conta com cerca de 700 experimentos interativos, cobrindo inúmeras áreas do conhecimento. O próprio visitante pode participar das experiências que resultaram no atual conhecimento científico.

O acervo permanente inclui alguns milhões de peças e apresenta uma das melhores amostras de ciências naturais de todo o país. Destacam-se as peças laleontológicas de uma grande exposição de aves e animais empalhados e os recursos minerais brasileiros, com algumas milhares de amostras.

Avenida Ipiranga, 6681 (Campus da PUC)

(51) 3320-3697

Aberto de terça a quinta das 9h às 17h, na sexta das 9h às 21h e no sábado, domingo e feriado, das 10h às 18h.

 

Museu de Arte de Santa Catarina – SC – Florianópolis

10 Museu de Arte Santa-Catarina

 

10a Museu de Arte SC

O Museu de Arte de Santa Catarina (Masc) foi criado em 18 de março de 1949 e desde então reúne e disponibiliza ao público um diversificado e expressivo acervo, que contém aproximadamente 1.750 obras de artistas nacionais e internacionais, com destaque também aos artistas catarinenses. O Museu é vinculado à Fundação Catarinense de Cultura (FCC) e tem como missão expandir e socializar a arte, a cultura e o prazer estético para toda a comunidade e visitantes, seja por meio de exposições do acervo ou por mostras temporárias.

O acervo do Masc abriga uma significativa representação da arte nacional e, principalmente, da arte catarinense, representada, entre outros, por obras de Eduardo Dias, Malinverni Filho, Martinho de Haro, Hassis, Eli Heil, Rodrigo de Haro, Elke Hering, Rubens Oestroem, Luiz Henrique Schwanke, Juarez Machado.

Já a coleção nacional conta com obras de Di Cavalcanti, Cândido Portinari, Djanira, Emeric Marcier, Alfredo Volpi, Tarsila do Amaral, Guignard, José Pancetti, Carlos Scliar, Iberê Camargo, Tomie Ohtake, Aldo Bonadei, Mário Zanini, Lula Cardoso Ayres, Frans Krajcberg, Antonio Maia, Marcelo Grassmann, Fayga Ostrower, Antonio Henrique Amaral, Lívio Abramo.

Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 – Agronômica

(48) 3664-2630

De terça a sábado, das 10h às 20h30. Domingos e feriados das 10h às 19h30.
Gratuito.

 

Museu Oscar Niemeyer – PR – Curitiba

11 M Oscar Niemeyer

 

11a M Oscar Niemeyer

O Museu Oscar Niemeyer mais conhecido localmente como Museu do Olho é um dos maiores e mais modernos Museus da América Latina. Foi inaugurado em 2002, quando o prédio principal deixou de ser sede de secretarias do Estado e passou por adaptações onde em sua frente foi instalado o popularmente chamado Olho, um anexo de 30 metros de altura feitos de concreto e vidro que imprimiu uma nova identidade ao complexo.

Rampas em curvas, na área externa, e um túnel -acessado pelo subsolo do edifício principal- fazem o elo entre o passado e o presente, o Moderno e o Contemporâneo.

É um dos maiores complexos de exposição do Brasil, com cerca de 16 mil m² destinados a obras de arte. Conta com diversos ambientes, incluindo um auditório para 400 lugares, café e espaços de lazer.

Em sua inauguração buscou-se um foco de atuação nas artes plásticas, no design, na arquitetura e no urbanismo. O Museu, entretanto, não possuía acervo próprio até o início de 2003.

Composto por aproximadamente 2 mil peças, o acervo guarda obras dos paranaenses Alfredo Andersen, Theodoro De Bona, Miguel Bakun, Guido Viaro e Helena Wong, além de Tarsila do Amaral, Cândido Portinari, Oscar Niemeyer, Ianelli e Caribé, entre outros.

  1. Mal. Hermes, 999 – Centro Cívico

(41) 3350-4400

De terça a domingo, das 10h às 18h

Venda de ingressos até 17h 30

R$4,00 inteira e R$2,00 estudantes identificados

Autor: Levy

Compartilhe este artigo no

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *