Frutas que você nunca viu.

Este artigo irá mostrar muitas frutas desconhecidas de muitos brasileiros e que são utilizadas em muitas receitas regionais ou consumidas em natura.

 

 

 

 

 

 

 GuaranáGuaraná – é natural da Amazônia, descoberto pelos índios maués, que o usavam em seus rituais. Hoje, industrializado, pode ser encontrada em forma de pó, cápsulas, xarope e em natura.

 

 

 

 

 

 

MuriciMurici – encontrado no norte de Minas Gerais, é muito consumido na forma de sucos ou com farinha.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PindaíbaPindaíba – muito comum no Sul e Sudeste brasileiro, da família da fruta-do-conde, esbanjando beleza na forma e nas cores, mas tem pouca polpa comestível.

 

 

 

 

 

AçaíAçaí – muito nutritivo e muito popular no Pará. Hoje já está bastante difundido em todo o Brasil e não é difícil encontra-lo em todas as regiões em casas de sucos.

 

 

 

 

 

 

 

SorvaSorva – além da fruta que é deliciosa, sua casca solta um látex que diluído em água, pode ser bebido como leite. Planta endêmica da Ilha da Madeira, bastante rara.

 

 

 

 

Sapota do SolimõesSapota do Solimões – muito doce e suculenta, sua árvore chega a 45 metros de altura, apesar do nome do rio, só nasce em terras secas.

 

 

 

 

 

CupuaçúCupuaçu – sua polpa é doce e azeda ao mesmo tempo. É ideal para sucos, cremes, licores, sorvetes e doces cristalizados.

 

 

 

 

 

Ingá-cipóIngá-cipó – original de terras úmidas e seu fruto é uma vagem verde que chega a ter mais de um metro de comprimento.

 

 

 

 

 

 

 

 BacuríBacuri – é uma das frutas mais apreciadas pelos nativos da Amazônia, tendo a polpa e as sementes comestíveis. Dá numa árvore de mais de vinte metros de altura e só é colhido quando cai no chão.

 

 

 

 

 TucumãTucumã – do coquinho os nativos fazem um mingau três vezes mais rico em vitamina A do que a cenoura.

 

 

 

 

 

 

Camu-camuCamu-Camu – Considerada a fruta do futuro, sendo parecido com a jabuticaba e bate todos recordes vitamina C. Originário dos confins da Amazônia, que segundo dizem, retarda o envelhecimento e combate o câncer. Pertence à família das jabuticabas. Normalmente usada em sucos, sorvetes, picolés e geleias.

 

 

 BuritiBuriti – suas sementes são comestíveis, mas seu principal produto é o palmito, comido, refogado ou na forma de doce.

 

 

 

 

 

 

 

 

Cabacinha do CampoCabacinha do Campo – também chamada de pêra-do-campo, já foi muito comum em Minas Gerais, mas quase desapareceu devido ao desmatamento.

 

 

 

 

 

 

 

 

AraticumAraticum – parente da pinha ou fruta-do-conde, chega a pesar até quatro quilos, podendo alimentar uma pessoa por um dia inteiro.

 

 

 

 

 

PequiPequi – é típica do cerrado, tendo papel importante na culinária regional ajudando até no combate à desnutrição. No cerrado, os índices de desnutrição infantil caem na época do pequi, quando os sertanejos passam a comê-lo diariamente misturado ao arroz e feijão.

 

 

 

BaruBaru – castanha saborosa e nutritiva, dá um óleo tão bom quanto o de oliva, tendo mais proteínas do que o coco baiano.

 

 

 

 

 

MandacarúMandacaru – fruto do cacto, símbolo da caatinga. Alivia a fome no sertão mesmo nos tempos de seca intensa.

 

 

 

 

 PitombaPitomba – os sabores de doce e azedo se confundem. É muito popular no Nordeste e quando seus frutos maduram é até motivo para festejar.

 

 

 

 

 

ButiáButiá – muito comum em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, podendo fazer de seu coquinho óleo, vinagre e até licor.

 

 

 

 

 

 

 FeijoaFeijoa – gosto parecido com o da goiaba. Sua árvore é pequena e de belas flores, podendo ser usada como ornamento.

 

 

 

 

LicuriLicuri – é um petisco popular, vendido nas feiras na forma de rosário, sendo a comida preferida da ararinha azul.

 

 

 

 

 

CambuciCambuci – em tupi significa jarro, devido a sua forma, tendo sido muito comum, mas hoje está quase extinta. Era muito comum em São Paulo, dando nome a um bairro. Ácida como o limão, rica em vitamina C. É indicado para pessoas de constituição física frágil, doentes, anêmicas ou convalescentes. “Possui tanino, substância empregada no tratamento de bronquite, tosse e coqueluche. Ainda possui vitamina A (boa para visão), complexo B (ajuda na memória) e ferro”.

 

 Jabuticaba BrancaJabuticaba branca – típica das matas do Rio de Janeiro, sendo usada na medicina popular para curar a asma e até tuberculose.

 

 

 

 

 

 

Jabuticaba-cipóJabuticaba de cipó – a mais rara dentre as variedades de jabuticabas. Alguns pesquisadores a consideram extinta. Comestível. Alguns a citam como tendo propriedades medicinais.

 

 

 

 

 

 

ChicháChichá – suas sementes são muito usadas em arranjos de flores secas mas podem ser consumidas.

 

 

 

 

 

BacupariBacupari – os bandeirantes, em suas jornadas pelos sertões, a consumiam e está na lista de frutas ameaçadas. O bacupari é uma grande esperança nas pesquisas contra o câncer. Essa fruta da região amazônica apresenta um potencial três vezes maior do que o blueberry, fruta americana conhecida por pesquisadores como tendo um alto potencial antioxidante.

 

SapucaiaSapucaia – é uma das árvores mais citadas na literatura brasileira, tendo suas castanhas protegidas dentro de uma cumbuca. Suas castanhas substituem a castanha-do-pará, ao natural ou em receitas culinárias.

Autor: Levy

Compartilhe este artigo no

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *