Chapada das Mesas

O Parque Nacional da Chapada das Mesas, no sul do Maranhão, é um paraíso, onde o contato com a natureza e a tranquilidade das cidades da região formam uma boa receita para aliviar o estresse e se divertir. O Parque protege 160.046 hectares de Cerrado nos municípios de Carolina, Riachão, Estreito e Imperatriz, no centro-sul do Maranhão.

2 chapada_das_mesas

4

 

Criado em 2005, o Parque Nacional da Chapada das Mesas é um dos mais novos parques nacionais do Brasil. Florestas de buritizais, sertões, relevo de chapadas vermelhas, compõem um estonteante conjunto de curiosas formações rochosas, cânions, cavernas e cachoeiras. São inúmeras as surpresas e aventuras que uma visita a esse parque pode revelar.

1a Portal-da-chapada-das-mesas

Portal da Chapada

 

Seu nome veio por conta de seus platôs, que lembram realmente o formato de mesas de pedra. Isso se deu devido aos paredões de rocha de arenito formados há milhões de anos.

3 chapada-das-mesas

 

O Brasil está descobrindo a Chapada das Mesas, um paraíso natural, já na divisa com o Tocantins. Nesta região de extrema exuberância, montanhas, cachoeiras, rios e lagos saltam aos nossos olhos e proporcionam uma experiência incrível. E para você aproveitar tudo da melhor forma, prepare um roteiro de viagem para a Chapada das Mesas, com as melhores dicas que você puder encontrar.

1 mapa

 

A cidade base para todos os passeios é Carolina, a 800 quilômetros de São Luís. Aqui, já foram encontradas exatamente 89 cachoeiras e mais de 400 nascentes e, por isso, a cidade tem o apelido de Paraíso das Águas.

10 Carolina

Cidade de Carolina

 

As árvores retorcidas e os paredões de rochas de arenito escondem o paraíso que pode ser delineado em números: são 89 cachoeiras, mais de 400 nascentes de águas cristalinas, em uma das regiões mais bonitas do país, no cerrado do Sul do Maranhão, entre os municípios de Riachão, Carolina e Estreito.

 

No local, a vegetação brota em lugares improváveis, e a natureza se revela na água azul, da cor do céu. Um roteiro do ecoturismo que impressiona visitantes o ano inteiro, mas são nos períodos de alta temporada, como nas férias, que os atrativos ficam lotados. A taxa de ocupação é superior a 90%.

 

Este santuário ecológico de 160 mil hectares traz incontáveis espetáculos naturais, exemplares únicos do Cerrado brasileiro. Mas, sem dúvida, as cachoeiras e suas piscinas naturais de água cristalina com temperaturas amenas, em meio aos imensos paredões rochosos, são as grandes responsáveis pelo encanto que envolve o Parque.

Esse é o pacote ideal para quem quer sentir um gostinho da Chapada das Mesas.

 

complexo-da-pedra-caida

 

O Santuário da Pedra Caída é o ponto turístico mais importante do Sul do Maranhão. Possui três quedas d’água maiores, sendo que no Santuário Ecológico a água despenca a uma altura de 46 metros em uma série de pequenos saltos, além de grande piscina de água corrente. Trekking de 800m até a cachoeira da Pedra Caída.
O Complexo da Pedra Caída fica a 36 quilômetros do centro de Carolina e a seis da entrada do Parque Nacional da Chapada das Mesas. Aqui, apenas sete de suas 25 cachoeiras podem ser visitadas. As demais ficam distantes e ainda não estão acessíveis.

 

Para chegar até a Cachoeira do Santuário caminha-se 600 metros por passarelas e rampas suspensas e atravessa cerca de 50 metros dentro do Cânion do Santuário com água até a cintura. A cachoeira fica escondida pelos paredões do cânion e o som da queda d’água é a única referência.

 

Quando estiver por aqui, não deixe de dar uma passada no mirante do Santuário, uma ponte suspensa que também é chamada Ponte do Pedro. A entrada no Complexo custa R$ 50 e você pode desfrutar das piscinas e do toboágua. O passeio para essa cachoeira custa R$ 25. Além da Cachoeira do Santuário, visita-se a do Capelão e a da Caverna.

É por causa das Cachoeiras de Carolina que essa cidade, que fica a 800 quilômetros de São Luís, no sul do Maranhão, é chamada de Paraíso das Águas.

9 Poço Azul

A cidade é famosa justamente por suas cachoeiras e, para lhe ajudar a preparar um roteiro que contemple as mais importantes quedas d’água da região eu fiz uma lista com as principais cachoeiras de Carolina. Mas isso não é tudo, se você está planejando ir para lá, se prepare para conhecer os atrativos do Parque Nacional, uma área de natureza e relevos exuberantes, e as cidades que ficam ao seu redor, como Riachão onde estão o Poço e o Encanto Azul.

 

Cachoeira de São Romão

Cachoeira-de-Sao-Romao

É a mais volumosa da região e fica dentro da área do Parque Nacional. Chegar não é tão simples, mas vale a pena. São 85 quilômetros de viagem sendo que 50 deles em estrada sem calçamento. Esse trecho é até razoável, mas é praticamente todo em areia e isso significa que apenas carros traçados conseguem passar. Há ainda várias bifurcações, riachos e porteiras ou cancelas, como são chamados, pelo caminho. Portanto, a melhor opção é estar acompanhado de um guia.

 

Aproveite para caminhar por trás da cortina d’água e observar como as andorinhas fazem um balé aéreo passando pela queda para chegar ao paredão de rocha que a sustenta.

 

É cobrada uma entrada de R$ 10. Os moradores servem almoço: o peixe frito que serve três pessoas custa R$ 58. A carne de sol, também para três pessoas, custa R$ 50. A galinha caipira para seis pessoas sai por R$ 100. O almoço acompanha arroz, feijão, macarrão, farofa e salada, e deve ser agendado pelo telefone (99) 98152-4480 ou com os guias antes de sua chegada.

 

Cachoeira da Prata

7 Cachoeira-do-Prata

Ela fica a 30 quilômetros da Cachoeira São Romão e para chegar passa-se por um uma estrada bem arenosa. Na verdade, essa cachoeira é um conjunto de quedas d’água que se transformam em uma só durante o período chuvoso. Há ainda um grande lago que se forma antes da queda principal onde você pode nadar tranquilamente.

 

O Rio Farinha, onde está a cachoeira, faz divisa dos municípios de Carolina e Estreito, em suas margens há pequenos bancos de areia onde você também pode se banhar.

 

Aqui é cobrada uma taxa de entrada de R$ 5. Não é permitida entrada de bebidas alcoólicas, mas é possível acampar na região pagando uma taxa extra de R$ 5.

 

O almoço, que aqui é servido sob cabanas de palha, é feito no fogão a lenha e eles oferecem basicamente as mesmas opções que você encontra na São Romão. A única diferença é o preço mais baixo.

 

Cachoeira Aldeia do Leão

Aldeia do Leão

À apenas 10 quilômetros do Centro de Carolina, essa ainda é uma cachoeira pouco conhecida. A queda d’água não é grande, mas forma uma piscina natural ideal para quem quer tranquilidade e um pouco mais de sossego.

A entrada custa R$ 5 e a fazenda tem banheiros, e um bar que vende bebidas e lanches rápidos. Deixando a BR-230, é preciso dirigir por seis quilômetros de estrada sem calçamento. Há placas indicando o caminho.

 

Cachoeiras de Itapecuru

8 Cachoeiras do Itapecuru

Essa cachoeira fica no povoado de São João das Cachoeiras, a 30 quilômetros do centro de Carolina. Nesse trecho, 1,2 km não tem calçamento, mas a estrada é boa e permite que carros de passeio cheguem com tranquilidade.

Também chamadas de Cachoeiras Gêmeas, essas quedas d’água formam um grande lago onde você pode nadar com tranquilidade e até mesmo passear de caiaque, pagando R$ 10 por 20 minutos.

Na margem esquerda do rio, observe as ruínas da antiga hidrelétrica que é considerada a primeira de toda a Região Norte e Nordeste.

A entrada aqui custa R$ 10, mas nos finais de semana e feriados o preço sobe para R$ 20. Quem quiser pode ficar hospedado nos chalés. A diária custa a partir de R$ 120, o casal.

 

Balneário Queda D’água

Esse balneário, que na verdade não tem cachoeiras, fica no caminho para a Cachoeira de Itapecuru. As piscinas, que hoje servem para diversão de quem chega aqui, se formaram pela barragem da antiga hidrelétrica que funcionou nessa área.

No balneário há uma pequena ilha que divide o Rio Itapecuru e forma as cachoeiras gêmeas. A entrada custa R$ 8, de segunda a sexta, e R$ 10 nos finais de semana e feriados. Há um bar e banheiros.

 

Cachoeira do Dodô

Seu Dodô era um sertanejo sem estudo que descobriu sozinho como cuidar da terra e tirar dela o melhor. Assim, viveu anos nesse pedaço de chão encravado no coração da Chapada das Mesas e hoje a cachoeira que leva seu nome é visitada por gente de várias partes do mundo.

A Cachoeira do Dodô fica a 33 quilômetros do centro de Carolina, sendo que 1,5 km não tem calçamento. A entrada custa R$ 5 e você pode almoçar. A galinha caipira que serve até sete pessoas custa R$ 100 e o peixe frito para três pessoas sai por R$ 45. As duas opções vêm acompanhadas de arroz, feijão, farofa, macarrão e salada.

Se quiser acampar ao redor da cachoeira você terá que pagar uma taxa de R$ 10, mas fique esperto porque não é permitida a entrada de bebidas alcoólicas. Uma água no bar da fazenda custa R$ 3.

 

Cachoeira Santa Bárbara

6 cachoeira santa bárbara

Essa é a cachoeira mais alta da região e fica na cidade de Riachão, a 135 quilômetros de Carolina. Com 70 metros de altura ela escorre por um paredão de arenito e forma um lago de água gelada e cheio de graça. A caminhada até ela é feita por trilhas suspensas.

A Santa Bárbara fica no Complexo do Poço Azul, onde estão várias outras cachoeiras como a dos Namorados e de Santa Paula. Para chegar aqui você anda por 38 quilômetros de estrada sem calçamento. A manutenção nela é constante e isso ajuda para que veículos de passeio cheguem tranquilamente.

 

Quando ir

Esta região do Nordeste tem basicamente duas estações: inverno e verão. O inverno, que é a estação chuvosa, vai de outubro a abril. O verão, a estação seca, vai de maio a setembro. Essa é a época ideal para visitar as cachoeiras de Carolina e conhecer os atrativos da Chapada das Mesas. O aniversário de Carolina é no dia 8 de julho e na primeira semana do mês acontecem os festejos na cidade.

 

Bancos

A cidade tem agências do Bradesco, do Banco do Brasil, do Banco da Amazonas e lotéricas. Não há Banco 24Horas.

 

Telefone e Internet

 Celulares da Tim, Vivo e Oi funcionam bem. A internet na maioria dos lugares é a rádio e nem sempre funciona bem.

 

Dicas

Visitas e práticas esportivas só podem ser realizadas devidamente acompanhadas por guias de agências especializadas em esporte de aventura. Recomendamos roupas leves, calçados próprios (tênis para trekking), uso de protetor solar e repelente de insetos, chapéus ou bonés e consumo de bastante liquido durante as caminhadas e atividades.

 

Onde ficar

Carolina é a cidade que serve de base para os incríveis passeios dessa região de exuberante beleza natural. Então, se você está planejando conhecer essa maravilha, veja como escolher o melhor lugar para se hospedar na Chapada das Mesas, consultando empresas de turismo ou sites como a Booking, que oferece as opções, com desconto, descrevendo como estão as instalações dos Hotéis e Pousadas.

 

 

Autor: Levy

Compartilhe este artigo no

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *