As 20 Cidades Brasileiras mais antigas

Tudo começou, bem sabemos, com o descobrimento do Brasil, em 1500, onde desembarcou no litoral sul da Bahia, o português Pedro Alvares Cabral, na região atual de Porto Seguro, que inicialmente chamaram de Ilha de Vera Cruz e, depois rebatizada Terra de Santa Cruz. O nome Brasil. Foi dado devido à grande quantidade de pau-brasil encontrado na região. Fazer um tour por estas cidades é como fazer uma viagem ao passado e conhecer nossas origens.

 

1a Porto-Seguro

Porto Seguro – BA (1500) – É um município localizado no Extremo Sul da Bahia, contando com uma área de 2.408,37 quilômetros quadrados e uma população de 141.006 habitantes (IBGE 2013) concentrados em sua maioria na sede e nos bairros mais populosos. Foto: Aeroporto.

De relevante importância histórica, cultural e turística, Porto Seguro é o local da chegada dos portugueses no ano de 1500, quando o Brasil foi descoberto. O município foi fundado em 1534 e está tombado em quase sua totalidade pelo patrimônio histórico, não sendo permitida a construção de prédios com mais de dois andares. É cortado pelo rio Buranhém, que liga a sede aos badalados distritos de Arraial d’Ajuda, Trancoso e Caraíva.

Existem pacotes turísticos que incluem transporte aéreo e hospedagem. Entretanto, por ser bastante diversificada a rede hoteleira, vale a pena buscar aliar preço e qualidade.

 

2 ANGRA DOS REIS

Angra dos Reis – RJ (1502) – Localizada na região conhecida como Costa Verde, a 155 quilômetros da cidade do Rio de Janeiro, em meio a lendas e contos, a verdadeira história da cidade. Angra é um lugar mágico, daqueles onde a imaginação vai longe e nos convida a conhecer como tudo começou. Quando o Brasil foi descoberto em 1500, os portugueses ficaram encantados com o que viram. Logo após, a coroa portuguesa enviou ao Brasil uma esquadra composta por três navios, para mapear e desbravar o litoral. O navegador Gaspar de Lemos, que comandava a esquadra vinda de Portugal, ficou extasiado naquele dia, que por coincidência era dia de Reis, 6 de janeiro de 1502. O português Américo Vespúcio, que fazia parte da tripulação, escreveu emocionado a Portugal, relatando as paisagens mágicas e quase surreais que presenciava ali. Em meio a Mata Atlântica, oito baías, 365 ilhas e mais de 2.000 praias praticamente selvagens. A natureza exuberante era motivo pelos quais navios piratas eram vistos pelo litoral que, além de se deleitarem com tanta beleza, abasteciam seus navios de água, lenha e provisões.

 

3 São-Francisco

São Francisco do Sul –SC (1504) – Em 1504, o navegador francês Binot Palmier de Gonneville aportou na região, marcando o início da primeira povoação catarinense e a terceira mais antiga do país.

O veleiro L`Espoir, comandado por Binot de Gonneville, lançou âncoras nas águas tranquilas da Baía da Babitonga, em 5 de janeiro de 1504. Tinha partido do porto de Honfleur, na França, levado pela mesma saga que trouxe inúmeros outros aventureiros para este lado do Atlântico, em busca das “riquezas das Índias”. Com os mastros e o casco avariados por fortes tempestades, busca abrigo para efetuar os reparos necessários. Aqui, os marinheiros franceses não apenas são bem recebidos pelos índios carijós, chefiados pelo cacique Arosca, como também encontram madeira de lei nos matos próximos, além de água potável e víveres para o reabastecimento.

 

4 cidade-de-cananeia

Cananéia – SP (1531) – Foi aqui que começou uma das mais inflamadas e interessantes controvérsias da nossa História: A saga do Bacharel, o primeiro habitante branco conhecido do Brasil, que entrou para a História com o cognome de Bacharel de Cananéia, encontrado nesta terra em 1531, por Martim Afonso de Sousa e definido como o mais enigmático degredado por Eduardo Bueno, jornalista e pesquisador, conforme seu livro “Náufragos, Traficantes e Degredados”, da coleção “Terra Brasilis”. Ele era português, foi degredado por Dom Manuel por motivos políticos e trazido por Bartolomeu Dias da ilha de São Tomé, no Golfo da Guiné, na África, onde era prisioneiro e servia como ouvidor. Foi deixado na atual Ilha Comprida, antiga ilha Branca, no ano de 1499, conforme documentos citados pelo historiador Dr. Jaime Cortesão no livro “Os Descobrimentos Portugueses”, volumes I, II e III.

Esse homem se chamava Cosme Fernandes, era Bacharel e Mestre, segundo o que se titulava na época na Universidade de Salamanca, local provável de sua formação.

 

5 sao-vicente

São Vicente – SP (1532) – Fundador: Martim Afonso de Souza. Data de Fundação: 22 de janeiro de 1532. Primeira cidade organizada no país, capital dos paulistas por 177 anos, conhecida como “Berço da Democracia Americana” por ter constituído a Primeira Câmara Municipal nas Três Américas. O nome São Vicente aparece assinalado em mapas desde 1502, designando nas primeiras décadas após o descobrimento, ora a Ilha, ora o rio, ora a povoação da Ilha. É difícil afirmar a data exata da fixação dos primeiros portugueses nestas paragens. Fato conhecido, no entanto, é que em 1532, Martim Afonso de Souza fez erigir à condição de Vila, o Povoado então

existente.

 

6 Itanhaém

Itanhaém – SP (1532) – Fundada em 22 de abril de 1532, pela expedição de Martim Afonso de Souza, a povoação localizou-se junto à Aldeia dos Itanhaéns, onde foi erguido o Colégio de São João Batista, pelos Jesuítas, entre os rios Peruíbe e Itanhaém. Por desentendimentos surgidos entre os Jesuítas e Colonos, muitos destes abandonaram o local e foram se estabelecer à margem esquerda do Rio da Conceição de Itanhaém, próximo ao Morro do Itaguaçu, que abrigava uma ermida levantada para a guarda da Imagem de Nossa Senhora da Conceição de Itanhaém. Segundo Ruy de Azevedo Marques, em seu trabalho “Igreja e Convento de Nossa Senhora da Conceição de Itanhaém”, o padre Anchieta passou em Itanhaém toda a quaresma de 1563, antes de ir com o padre Manoel da Nóbrega a Iperoig, hoje Ubatuba, para concluir o armistício entre osTamoios e Tupis.

 

7 Olinda

Olinda – PE (1535) – Em 1534, a Coroa portuguesa instituiu o regime de Capitanias Hereditárias. A Capitania de Pernambuco foi entregue ao fidalgo português Duarte Coelho, que tomou posse de sua capitania desembarcando, em 9 de março de 1535, na feitoria fundada em 1516, entre Pernambuco e Itamaracá. Pouco tempo depois, ele seguiu para o sul em busca de um lugar para se instalar. Encontrou um local estrategicamente ideal, no alto de colinas, onde existia uma pequena aldeia chamada Marim, pelos índios, instalando aí o povoado que deu origem a Olinda.

A cidade irmã de Recife está entre as mais bonitas e charmosas do país. O conjunto arquitetônico marcado por casinhas coloridas, igrejas e muito verde tem o mar ainda como plano de fundo. A gastronomia e seus eventos culturais se unem ao cenário de Recife para proporcionar momentos inesquecíveis aos viajantes, especialmente durante o carnaval quando uma imensa festa a céu aberto toma conta de suas ruas, deixando a paisagem histórica ainda mais bonita.

 

8 vila velha

Vila Vela – ES (1535) – Fundada com o nome de Vila do Espírito Santo pelo português Vasco Fernandes Coutinho, donatário da Capitania do Espírito Santo, e que aqui aportou em 23 de maio de 1535, foi sede da capitania até o ano de 1549, quando a capital foi transferida para Vitória e o município passou a ter o nome atual.

Do período que compreende 1535 a 1912, de acordo com o historiador Dijairo Gonçalves Lima, três acontecimentos marcaram o início do desenvolvimento de Vila Velha: a inauguração da luz elétrica pública, em 1910; o funcionamento dos bondes, em 1912; e a instalação da água encanada, também em 1912. Construções do século XVI e XVII, como o Convento da Penha e a Igreja do Rosário, dão um ar especial à arquitetura da cidade. Não se pode deixar de citar também o Forte de São Francisco Xavier e o Farol de Santa Luzia, do século XIX.

 

9 vitória

Vitória – ES (1535) – Reunindo uns sessenta homens, entre fidalgos e criados Del Rei, alinhando-se entre aqueles D. Jorge de Meneses e D. Simão do Castelo Branco, que por mandato de Sua Alteza iam cumprir suas penitências a estas partes, e equipada a caravela de quatro mastros com tudo que se fazia necessário à empresa que ia empreender, deixou o fidalgo lusitano a sua pátria. Navegava rumo ao Ocidente, para se apossar de sua donatária de cinquenta léguas de terra na dita costa do Brasil.

No dia 23 de maio de 1535, domingo, a nau Glória, orientando-se pela serra do Mestre Álvaro, que se erguia no horizonte, recortando-se contra o céu, atravessou a barra de nossa baía, ancorando numa pequena enseada situada à esquerda, nas fraldas do morro da Penha, ao norte do morro de João Moreno. Julgaram ser a baía um grande rio. Os colonizadores deram à terra o nome de Espírito Santo, em vista da celebração, naquela data, da festa do Divino Espírito Santo, pela igreja

católica.

 

10a igarassu

 

Igarassu – PE (1535) – O local onde hoje fica o município de Igarassu era habitado por índios Caetés. Porém, em 1535, o donatário Duarte Coelho desembarcou no local para tomar posse de sua capitania, doada pela Coroa Portuguesa, travando um combate com os índios no local onde hoje está erguida a igreja dos Santos Cosme e Damião. Por ordem de Duarte Coelho, foi instalado um marco de pedra, servindo de ponto divisório entre as capitanias de Pernambuco e capitania de Itamaracá, dando início ao processo de colonização da região. Por volta de 1564, foi elevado à categoria de Vila. O nome Igarassu é de origem tupi e significa “canoa grande” ou “navio”. O município foi um dos primeiros núcleos de povoamento português no Brasil. O Sítio Histórico de Igarassu tem uma área de aproximadamente meio quilômetro quadrado (396.202 m²). É um dos conjuntos arquitetônicos civil e religioso mais antigos e mais bem conservado do Estado de Pernambuco, lugar onde encontram-se os monumentos mais importantes da cidade.

 

11 Iguape

Iguape – SP (1537) – Registros históricos dão conta que em 1532, pouco depois de chegar ao Brasil, Martim Afonso de Souza ordenara a desocupação por Moschera e pelo Bacharel do território onde hoje está Iguape e pertenceria a coroa portuguesa e, não sendo atendido, ordenara uma expedição chefiada por Pero de Góis, o qual deveria executar a desocupação à força. A essa altura, informados sobre a expedição, Moschera e o Bacharel, apoiados por duzentos indígenas flecheiros, capturaram um navio corsário francês que pouco antes aportara a Cananéia em busca de provisões, apoderando-se de suas armas e munições. Em seguida, fizeram cavar uma trincheira em frente à povoação de Iguape, no sopé do morro, conhecido por “Outeiro do Bacharel”, guarnecendo-a com quatro das peças de artilharia do navio francês.

 

12 Santos

Santos – SP (1543) – Santos é uma das cidades mais antigas do Brasil, portanto histórica, mas também cosmopolita, portuária e ecológica. Seu povoamento começou por volta de 1540 e o passado deixou legados preciosos em casarões, museus e igrejas, destacando-se a Bolsa Oficial do Café, marco da riqueza da cidade. Santos abriga o maior complexo portuário da América Latina, construído no início do século XX, fase de grande progresso como escoadouro de café. Suas praias são limpas, com jardins coloridos, entremeados de amendoeiras e palmeiras.
Decretos, leis e iniciativas resgataram seu velho charme de cidade litorânea ecologicamente correta. Santos oferece ainda vida cultural intensa, um centro comercial dinâmico, bares movimentados, restaurantes requintados e todo o conforto de um moderno centro turístico.

Elevada a Vila em 1545, Santos tem sua origem relacionada com a chegada dos primeiros colonizadores portugueses ao Brasil, na expedição de Martim Afonso de Souza. Este veio distribuir, entre os fidalgos que o acompanhavam, as terras ao redor da Ilha de São Vicente. Dentre eles estava Brás Cubas oficialmente fundador de Santos.

 

13 São Mateus

São Mateus – ES (1544) – Os primeiros colonizadores portugueses chegaram a São Mateus por volta de 1544. A partir daí a cidade começou seu desenvolvimento e não parou mais. A característica principal da economia de São Mateus é a diversificação das atividades aqui praticadas. A agricultura e pecuária, são fortíssimas e merece destaque especial o comércio que é referência no norte do estado e extremo sul da Bahia.

Há poucos registros sobre a povoação de São Mateus. A vila de São Mateus passou a dar obediência ao governo da Bahia, e , a partir desse momento, houve grande crescimento das atividades comerciais, pois muitas famílias importantes daquele Estado passaram a se mudar para São Mateus.

 

14 Salvador

Salvador – BA (1549) – Primeira sede colonial. A primeira sede da administração colonial portuguesa do Brasil, a cidade é uma das mais antigas da América. Centro econômico do estado, Salvador é também porto exportador, centro industrial, administrativo e turístico, ainda é sede de importantes empresas regionais, nacionais e internacionais. Foi em Salvador onde surgiu a Odebrecht, que, em 2008, tornou-se o maior conglomerado de empresas do ramo da construção civil e petroquímica da América Latina.

 

15 Santo André

Santo André da Borda do Campo – SP (1553) – Em 8 de abril de 1553, o povoado é elevado à categoria de vila. João Ramalho e sua esposa Bartira, filha do cacique Tibiriçá, fundaram a cidade.

Após a descoberta do Brasil, numerosas foram as expedições que chegavam à nova terra, procedentes de Portugal e Espanha. Em uma delas vinham João Ramalho e Antônio Rodrigues. Quando em 1532, Martim Afonso de Souza iniciou a colonização da Capitania de São Vicente, já encontrou João Ramalho, que foi ao litoral para recebê-lo acompanhado de mamelucos.

Fundada São Vicente, Martim Afonso, instado por João Ramalho, transpôs a serra para fundar outro povoado, sendo então criada a vila de Santo André da Borda do Campo que, por sua posição geográfica teve papel preponderante no desenvolvimento do território paulista.

 

16 São Paulo

São Paulo – SP (1554) – Os padres jesuítas José de Anchieta e Manoel da Nóbrega subiram a Serra do Mar, nos idos de 1553, a fim de buscar um local seguro para se instalar e catequizar os índios. Ao atingir o planalto de Piratininga, encontraram o ponto ideal. Tinha “ares frios e temperados como os de Espanha” e “uma terra mui sadia, fresca e de boas águas”.

Os religiosos construíram um colégio numa pequena colina, próxima aos rios Tamanduateí e Anhangabaú, onde celebraram uma missa. Era o dia 25 de janeiro de 1554, data que marca o aniversário de São Paulo. Quase cinco séculos depois, o povoado de Piratininga se transformou numa cidade de 11 milhões de habitantes. A partir do século XVII, têm início as bandeiras (ou entradas) cujo objetivo era a captura de índios, a expansão territorial e, principalmente, a descoberta de ouro e pedras preciosas. No final deste século, os bandeirantes do estado de São Paulo encontram ouro nos arredores de São João Del Rei.

 

17a

 

Rio de Janeiro – RJ (1565) – A região que ocupa atualmente a cidade do Rio de Janeiro foi descoberta no dia 1º de janeiro de 1502 por uma expedição portuguesa comandada por Gaspar de Lemos, que acreditou ter chegado à desembocadura de um grande rio, assim, batizou a baía com o nome de Rio de Janeiro. Contudo, foram os franceses que primeiro se estabeleceram na região e competiam com os portugueses no comércio madeireiro. Os portugueses estabeleceram serrarias naquela localidade e, em resposta à ameaça da presença portuguesa, os franceses trouxeram colonos para habitar e explorar o lugar, em 1555. Depois de anos de luta os franceses foram expulsos.

Como resposta às intenções francesas, no dia 1º de março de 1565, Estácio de Sá funda a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. A cidade possuía ruas irregulares e estilo português medieval. A expulsão definitiva dos franceses ocorreu em 1567.

Devido à posição estratégica da cidade na Baía de Guanabara, desenvolveu-se ali uma zona portuária e comercial (madeira, pesca e cana-de -açúcar), desta forma, a população também aumentou. Em 1660, a população daquela cidade contava com 6000 índios, 750 portugueses e 100 negros.

 

18 joão pessoa

João Pessoa – PB (1585) – Fundada em 1585, João Pessoa já nasceu cidade. Sem nunca ter passado pela designação de vila, povoado ou aldeia, visto que foi fundada pela Cúpula da Fazenda Real, uma Capitania da Coroa, é considerada a terceira cidade mais antiga do Brasil.

No início da colonização, quando a colônia brasileira foi dividida em Capitanias Hereditárias, grande parte do atual território paraibano situava-se na então capitania de Itamaracá, sob o domínio de Pero Lopes de Sousa. Posteriormente esta capitania foi desmembrada, dando origem à capitania da Paraíba (Sampaio, 1980). João Pessoa foi criada durante o antigo Sistema Colonial para exercer funções administrativas e comerciais, tomando forma a partir de uma colina à margem direita do Rio Sanhauá.

 

19 são cristovao

São Cristóvão – SE (1590) – É a quarta cidade mais antiga do país e foi a primeira capital de Sergipe, foi fundada por Cristóvão de Barros, no dia 1º de janeiro de 1590, época em que Portugal estava sob domínio do Rei Felipe II da Espanha. Tombada pelo patrimônio histórico nacional desde 1939, São Cristóvão desenvolveu-se segundo o modelo urbano português, em dois planos: cidade alta, com sede do poder civil e religioso, e cidade baixa, com o porto, fábricas e população de baixa renda. O casario guarda nas fachadas e nos telhados a divisão social do Brasil Colônia, com os telhados representando cada grupo de poder. Os tribeiras, os beiras e os eiras indicavam aos passantes quem ali morava. Se era rico ou pobre, poderoso ou não.

 

20 Ponta-Negra-Natal

Natal – RN (1599) – Natal, capital do Estado do Rio Grande do Norte, foi fundada em 1599 às margens do Rio Potengi. É também conhecida como Cidade do Sol, porque o sol brilha durante o ano todo e só descansa nos períodos de chuva entre março e julho. Além dessas vantagens, Natal é considerada a cidade que possui o ar mais puro da América do Sul e possui um dos mais belos litorais do Brasil, que se estende por mais de 400 Km e um povo hospitaleiro que recebe os visitantes de braços abertos.

Ponta Negra é a praia mais badalada da cidade, boa para banhos, com infraestrutura de hotéis, restaurantes e vida noturna bem agitada. As praias mais paradisíacas ficam nas cidades vizinhas, entre elas, destacam-se Búzios e Barra de Tabatinga ao sul da capital, e as dunas de Genipabu, ao norte, além da Praia da Pipa que fica a 80 Km. A partir de Natal fica fácil conhecer os mais belos lugares do Rio Grande do Norte.

 

Autor: Levy

Compartilhe este artigo no

2 comentário

  1. Mogi das Cruzes – São Paulo foi fundada em 1560 , portanto também deveria estar ai citada.

    Responder
    • Prezada Marli, se ler novamente o Artigo, verificará que São Paulo está na relação das mais antigas. Antes de SP, fundaram Cananéia (1531), São Vicente (1532), Itanhaém (1532), Iguape (1537), Santos (1543) e Sto. André da Borda do Campo (1553). Logo depois, em 1554, a expedição de Padre Anchieta e Manoel de Nóbrega atravessam a Serra do Mar em busca de mais segurança.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *