Angra – Ilha Grande – Paraty

No Litoral Sul Fluminense encontramos três paraísos, um numa ilha e dois outros em cidades históricas. Todos deslumbrantes em suas belezas e sua história que remontam ao Período Colonial Brasileiro. São eles a Ilha Grande, Angra dos Reis e a cidade de Paraty.

 

Entre o Rio de Janeiro e São Paulo, a região da Costa Verde é um verdadeiro milagre ecológico onde ainda podemos observar os últimos vestígios de Mata Atlântica nas encostas da Serra da Bocaina.
Ilha Grande e Paraty, duas das mais belas joias do Brasil, foram poupadas da urbanização e relativamente preservadas do turismo predatório devido ao difícil acesso e graças às suas próprias histórias.

Mapa

Na ponta sul da grande Baía dos Reis, Paraty é a última a ser descoberta, voltada para o mar que foi, durante séculos, sua única ligação com o exterior. Ainda mais ao sul, a partir de Trindade, a paisagem muda de escala quando as montanhas em declive da Serra do Mar terminam abruptamente seu curso diretamente no oceano.

 

Angra dos Reis

11 Angra

 

12 Angra

Angra é um município situado no oeste do estado do Rio de Janeiro. Localiza-se a uma altitude média de seis metros e possui, em seu litoral, 365 ilhas. Antes da chegada dos europeus, era habitada por tribos indígenas tupinambás. Foi descoberta pelos portugueses em 6 de janeiro de 1502, sendo colonizada apenas a partir de 1556. Sua população, aferida no Censo de 2010, era de 169 270 habitantes.

8 ilha-da-gipoia-angra-dos-reis

Ilha da Gipoia

Localizada na região conhecida como Costa Verde, a 155 quilômetros da cidade do Rio de Janeiro, em meio a lendas e contos, a verdadeira história da cidade. Angra é um lugar mágico, daqueles onde a imaginação vai longe e nos convida a conhecer como tudo começou. Quando o Brasil foi descoberto em 1500, os portugueses ficaram encantados com o que viram.

7 Angra dos Reis

Hoje em dia, devido à beleza de suas praias e das regiões próximas, Angra virou ponto forte do turismo não só estadual, mas também nacional. Possui inúmeras ilhas, muitas delas tendo por donos celebridades nacionais e internacionais, sendo a maior de todas denominada de Ilha Grande.

Ilha de Cataguases - Angra dos Reis

Ilha de Cataguases

Com a inauguração da Estrada Rio-Santos, a cidade foi descoberta pelos turistas. Ao percorrer as ruas do Centro da cidade percebe-se lendas e fatos que permanecem até hoje arraigados na arquitetura de Angra. As igrejas foram preservadas, porém, sobraram poucas construções daquela época. Algumas das curiosidades são as ruas projetadas em curvas, seguindo o sentido dos ventos que sopravam por lá. Informações importantes: o município de Angra dos reis tem área total: 819 km² sendo, 626 km² no continente e 193 km² nas Ilhas.

Praia de Biscaia - Angra dos Reis

Praia de Biscaia

 

 

Ilha Grande

5 Ilha Grande

A Ilha Grande, abriga áreas remanescentes da Mata Atlântica, hoje quase extinta no Brasil. É uma parte insular pertencente a Área de Proteção Ambiental dos Tamoios ( APA dos TAMOIOS ) e está dividida em 3 áreas mais específicas com o objetivo de manter a preservação e proteção as espécies de fauna e flora raras, ameaçadas de extinção.

1 Lagoa Azul

Lagoa Azul

A soma das áreas do Parque Estadual da Ilha Grande e da Reserva Biológica da Praia de Sul é de 154,88 km² que representa 80% da área total da Ilha Grande. Fora desta área estão as terras baixas das principais comunidades habitadas. As enseadas de Palmas, Abraão, Estrelas, Saco do Céu, Bananal, Sítio Forte, Araçatiba e as praias da Longa, Japariz e Matariz. Estas constituem Zonas de ocupação controlada.

 

O descobrimento da Ilha Grande tem semelhança com o descobrimento da cidade maravilhosa. O Rio de Janeiro foi batizado no dia 1 de janeiro de 1502, quando Gonçalo Coelho, chefe da primeira expedição exploradora, concluiu que a baía da Guanabara era a desembocadura de um grande rio. A baía da Ilha Grande também foi confundida pela mesma expedição, cinco dias depois. Navegando pelo o canal existente entre o continente e a Ilha Grande a expedição achava que estava entrando em uma enseada. Ao passarem pela região onde está hoje a cidade de Angra dos Reis, verificou-se o engano. Não era uma enseada porque visualizaram ao longe a saída para o oceano, que fica próximo da atual cidade de Paraty. Por ser o dia em que a Igreja Católica comemora os Santos Reis Magos, a localidade foi batizada como Angra dos Reis. Então a data do descobrimento da Ilha Grande é a mesma da fundação da cidade de Angra dos Reis, 06 de janeiro de 1502.

Um lugar onde você fará passeios de barco inesquecíveis, mergulhos em grutas e lugares repletos de vida marinha, conhecerá praias semidesertas, tomará banho em cachoeiras de águas cristalinas e fará muitos amigos. Um recanto perfeito para toda a família.

2 Vila do Abraão

O local de maior estrutura turística é a Vila do Abraão, considerada a “capital da ilha”. Nesta localidade encontra-se o maior número de moradores, pousadas, restaurantes, barcos para passeios e traslados, operadoras de mergulho e guias de trilhas. Em toda a ilha, só é permitida a entrada de bicicletas. Por isso, você deve deixar seu carro no continente.

4 Abraão

São inúmeras as praias da Ilha Grande:

 

Praia do Canto – Se você decidir ir para o lado da praia do Canto irá encontrar amendoeiras embelezando e proporcionando sombra em toda orla da praia.

 

Praia da Julia – Se caminhar mais um pouco, siga pela trilha T10 (Abraão / Pouso) e vá até a praia da Julia.

 

Praia do Abraãozinho – Pequena, mas não menos paradisíaca, a praia do Abraãozinho é bem abrigada dos ventos e têm suas águas a transparência peculiar às demais praias da Ilha Grande.

Conheça a praia da Cachoeira, praia Grande de Araçatiba e Araçatibinha.

A Lagoa Azul, na Ilha Grande, é um paraíso em alto mar. Feche os olhos e imagine-se mergulhando numa imensa piscina com água transparente e azul-esverdeada, cujo fundo é um céu de estrelas do mar entre cardumes de peixes multicoloridos, lulas e corais.

6 Lopes Mendes

A praia de Lopes Mendes é considerada a mais bela da Ilha Grande. Conheça esse paraíso onde a natureza reina absoluta!  Paraíso dos surfistas, Lopes Mendes é considerada a mais bela praia da Ilha Grande.

 

Praia do Aventureiro – Quem quiser visitar a praia do Aventureiro, na Ilha Grande, deve se cadastrar na TurisAngra.

 

Enseada das Estrelas – Conheça as praias da Feiticeira, do Iguaçu, da Camiranga, do Perequê, de Fora e o Saco do Céu.

 

Enseada do Bananal – A Enseada do Bananal abrange a praia do Bananal, Bananal Pequeno, Jaconema e Matariz.

 

Gruta do Acaiá – A Gruta do Acaiá esconde em seu interior um espetáculo de luz e cor inigualável!

 

Lagoa Verde – Conhecer a Lagoa Verde é um programa imperdível na sua visita à Ilha Grande.

 

Praia da Longa – Lugar pitoresco e simples, a Praia da Longa fica próxima a enseada de Araçatiba.

 

Praia da Parnaioca – A Praia da Parnaioca é uma das praias mais selvagens da Ilha Grande.

 

Praia de Dois Rios – Uma das praias mais bonitas da Ilha Grande. Conhecida por abrigar o antigo presídio.

 

Praia do Caxadaço – A bela praia do Caxadaço é considerada uma das mais selvagens da Ilha Grande.

 

Praia Vermelha – A Praia Vermelha está localizada entre a Enseada de Araçatiba e a Gruta do Acaiá.

 

Vila do Provetá – A Vila de Provetá possui o segundo maior núcleo populacional da Ilha Grande.

 

A Ilha oferece opções de inúmeras pousadas.

 

Pirataria e Prisão

 

A 3ª maior ilha do Brasil (191 km2) é um pequeno paraíso, mas nem sempre foi assim. Ilha Grande já foi refúgio de piratas, hospital de quarentena e depois, presídio. Mas, o primeiro contato com os europeus foi de encantamento. Cerca de 100 índios tamoios viviam nesta ilha, quando os portugueses nela desembarcaram com sua tripulação em 1502, inebriados pelo perfume e pela incrível variedade de cores dos pássaros. No séc XVII, Ilha Grande era, para os espanhóis, uma fonte estratégica de abastecimento na rota das minas de ouro do Peru. Sua costa foi refúgio de piratas franceses, ingleses e holandeses, interessados no ouro português e espanhol e depois, ponto de tráfico de escravos. No final do séc XIX, foi construído o Lazareto, hospital de quarentena para os inúmeros imigrantes que chegavam ao Brasil. Mais de 4.300 navios fizeram escala em Ilha Grande, entre 1886 e 1913. Em 1940, foi inaugurada a Colônia Penal Candido Mendes, desativada em 1994, quando a ilha foi aberta ao público.

 

Paraty

13 Paraty

 

18 igreja de sta rita

Igreja de Santa Rita

Bela cidade colonial, considerada Patrimônio Histórico Nacional, preserva até hoje os seus inúmeros encantos naturais e arquitetônicos.

 

Passear pelo Centro Histórico de Paraty é entrar em outra época, onde o caminhar é vagaroso devido às pedras “pés-de-moleque” de suas ruas.

 

É um município situado no litoral sul do Estado do Rio de Janeiro. A cidade é muito conhecida pela sua arquitetura colonial e grande variedade de eventos, sendo muitos deles, de nível internacional como a Flip, o Festival de Cinema e Festival de Gastronomia. Por conta destes atrativos e a ótima infraestrutura dos hotéis e pousadas em Paraty, a cidade atrai milhares de visitantes durante o ano inteiro.

 

As construções de seus casarões e igrejas traduzem um estilo de época e os misteriosos símbolos maçônicos que enfeitam as suas paredes nos levam a imaginar como seria a vida no Brasil de antigamente. A proibição do tráfego de automóveis no Centro contribui para esta viagem pelo “Túnel do tempo”.

 

Uma região turística com muitas opções de cachoeiras como o Escorrega e piscinas naturais como a Piscina do Cachadaço em Trindade, que fica a 10 minutos do centro da cidade. Na gastronomia, Paraty não perde para a boa culinária de grandes cidades. Os restaurantes, em sua maioria concentrados no Centro Histórico, estão prontos a atender os mais variados paladares e agradar todos os públicos. Além de peixes e frutos do mar, as opções mais requintadas são especializadas em comida contemporânea, juntando a culinária internacional à saborosa cozinha caiçara.

 

Dizem que quem visita Paraty não pode deixar de fazer duas coisas: conhecer Trindade e tomar a famosa cachaça Gabriela.

 

Trindade é uma vila de pescadores que fica a 30 km do centro de Paraty e reúne 6 praias e uma cachoeira conhecida como pedra que engole por causa do formato: tem uma pequena caverna que passa por baixo dela e sai do outro lado. São diversos os restaurante neste trecho, podendo-se aproveitar para comer em um dos vários restaurantes da vila e logo em seguida pega-se a trilha para o Caixa d’aço. No caminho a paisagem já é linda, mas chegando lá não tem para ninguém. O visual é muito bonito e a piscina melhor ainda.

 14 Paraty

Praia do Sono – Esse sugestivo nome poderia ser perfeito caso, além de ser um lugar ideal para o descanso e a fuga do estresse diário, esse paraíso não fosse ainda uma deliciosa fonte de lazer devido à sua rara beleza natural, com praias de areias finas e águas transparentes, geralmente calmas e refrescantes.

 

Saco do Mamanguá – O lugar é privilegiado e está cercado por montanhas e por leis ambientais, e além disso, faz parte da Reserva Ecológica da Joatinga e também da Área de Proteção Ambiental do Cairuçu. O local não é muito frequentado devido o difícil acesso, sendo explorado basicamente por trilheiros e amantes da natureza.

 15 Paraty

Conhecido como Fiorde Tropical, e pelo que dizem os guias, o único fiorde do Brasil, o Saco do Mamanguá é na verdade um canal formado pelo mar entre montanhas do continente. Com 8 Km de extensão e 2 km de largura, ele reúne 33 praias de areia branquinha, mata preservada e algumas comunidades caiçaras. Para chegar aluga-se um barco na praia de Paraty-Mirim e passa-se o dia visitando várias praias, até terminar no mangue que fica no final, na divisa entre o mar e o continente.

 

Centro Histórico

16 centro-historico-de-paraty

Paraty era considerado o porto mais importante para escoamento do ouro e pedras preciosas que saiam de Minas Gerais e eram levados para Portugal. E parte dessa história continua viva até hoje nas ruas de pedra, igrejas e casarões antigos que formam o Centro Histórico da cidade.

 

Entre roupas, doces, bolsas e mil tipos de artesanatos, essas lojas vendem as tradicionais cachaças da região, fabricadas nos alambiques da cidade. Para quem gosta, dá para experimentar vários tipos, inclusive a Gabriela, que é feita com melaço da cana, cravo e canela. Uma delícia. Nos barzinhos e restaurantes eles servem também o Jorge Amado, um drink feito com a Gabriela bem geladinha, maracujá, suco de limão e gelo

17pousada-doce-paraty

A famosa Igreja Nossa Senhora dos Remédios é um dos ícones da cidade, fica na praça da matriz e foi construída em 1873 em estilo neoclássico.

O turismo no município atende a todos os gostos, passando por simples pousadas caseiras a outras extremamente sofisticadas. Em dias em que a maré alta adentra o centro histórico da cidade, os turistas têm o privilégio de obter uma rara beleza, nascida da indescritível mistura das águas do mar às suas tortuosas ruas.
A cidade ainda possui vários festejos culturais, entre eles, Festival de Música Sacra, Festival da Cachaça, Carnaval e Encontro de Teatro de Rua.

 

As primeiras cachaças produzidas no Brasil, que segundo historiadores, foi descoberta pelos antigos escravos e também conhecidas como pingas. Realizado desde 1982, quando começou com o nome Festival da Pinga, o Festival da Cachaça, Cultura e Sabores de Paraty, é um dos eventos mais tradicionais da Estrada Real envolvendo diversas atividades, estabelecimentos e profissionais de todo o país.

paraty_engenhodouro

Alambique Engenho D´Ouro – Cachaça Artesanal

Endereço: Estrada Paraty – Cunha, KM 8 – Penha.

Telefone: (24) 9 9832-7339

Site: www.engenhodouro.com.br

Email: edengenhodouro1@gmail.com

paraty-mini-estrada-real

Mini Estrada Real

O parque temático, histórico e cultural reúne dezenas de miniaturas das principais construções que fazem parte do Caminho do Ouro. A “viagem” começa em Paraty e segue até Ouro Preto, passando por Tiradentes, São João del Rei, Mariana e Sabará, além de Belo Horizonte, São Lourenço e Caxambu. Pelo terreno, contornado por um belo jardim, estão igrejas, pontes, praças e prédios como a Igreja de Santa Rita (Paraty) e o Museu da Inconfidência (Ouro Preto). O passeio guiado impressiona, em especial pelos detalhes na confecção de cada atrativo.

Horário de funcionamento: Todos os dias das 9h até as 17h e 30min.

Endereço: Estrada Paraty – Cunha Km 02 – Bairro Pantanal – Paraty/- RJ

Telefone: (24) 3371-9763

Site: http://www.miniestradareal.com/

Email: contato@miniestradareal.com

 

Sair de escuna nas águas Paraty é a garantia de muita diversão. O passeio acontece de manhã e à tarde com direito a visitas às maravilhosas praias e ilhas próximas da cidade. As incríveis belezas naturais presentes no passeio podem ser acompanhadas de atividades como snorkeling, mergulho e banho de sol

Autor: Levy

Compartilhe este artigo no

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *