Amazonas – desbravando a floresta

Pouco antes dos portugueses descobrirem o Brasil, por aqui já andavam os espanhóis, explorando a foz do rio Amazonas e, depois, já em 1541, percorreram todo o rio, levando pouco mais de quatro anos, desde sua nascente até a foz, de onde surgiram os relatos de os mesmos terem sido atacados por mulheres guerreiras (amazonas), de onde veio o nome do grande rio. Faz fronteira com o Pará, Rondônia, Acre, Roraima e Mato Grosso. Internacionais com a Venezuela, Colômbia e Peru.

Ao lado do Pará, o estado do Amazonas é o que mais influencia a economia na região Norte brasileira. Possui três parques nacionais: Jaú, em Barcelos; do Pico da Neblina, na fronteira com a Venezuela e o da Amazônia em Itaituba, próxima do rio Madeira.

 

1 Manaus

Manaus, capital do estado, possui uma população de mais de dois milhões de habitantes (IBGE-2015), situando-se na confluência dos rios Amazonas e Negro, cujas águas não se misturam. Manaus, hoje, é o décimo maior dentre os destinos de turistas no Brasil, destacando-se pelo patrimônio arquitetônico e cultural e pelo seu potencial turístico e pelo ecoturismo. Destaca-se ainda a cidade de Parintins, com população em torno de 112.000 habitantes (IBGE-2015). Era habitada pelos índios Tupinambás, que deu origem ao nome da ilha de Tupinambarana, oficializando o nome Parintins em 1880. É conhecida, principalmente, por suas festas folclóricas.

 

Pontos turísticos

 

2 Manaus_encontro-das-aguas

O encontro das águas é um fenômeno natural que acontece no encontro do Rio Solimões, de água barrenta, com o Rio Negro, de água escura. Durante um trecho de seis quilômetros, que dependendo da época do ano, pode chegar a 22 km, os dois rios correm lado a lado sem misturar suas águas. O ideal é que o dia esteja ensolarado, pois assim o fenômeno será melhor apreciado.

O Palácio Rio Negro, com arquitetura bem conservada, pintado de amarelo, pode ser visitado gratuitamente. Antiga sede do governo, hoje em dia o prédio possui exposições permanentes e temporárias, biblioteca e salões que mostram todo o charme dos tempos áureos de Manaus. Fica na Avenida Sete de Setembro, 1540, no centro.

O Centro Cultural dos Povos da Amazônia é visitado com instrutores, tornando o passeio educativo. No exterior encontram-se malocas e objetos para fazer farinha e extrair o látex. Entrada gratuita, situando-se na Praça Francisco Pereira da Silva.

 

3 Igreja de São Sebastião

Igreja de São Sebastião, próxima do Teatro Amazonas é datada de 1888. Praça São Sebastião, centro.

 

 

 

 

 

Palacete Provincial, conhecido como Quartel da Polícia Militar, abriga diversos museus, a saber: da Imagem e do Som, de Tiradentes, de Arqueologia, de Numismática e a Pinacoteca do Estado, com 159 obras que contam a história do Amazonas. Fica na Praça Francisco Queiroz, centro.

Praia de Ponta Negra, a mais popular e frequentada em Manaus.

 

4 Teatro-Amazonas-Manaus

Teatro Amazonas, construído em 1896, cuja visita é cobrada e com guia, que pode explicar o significado de cada pintura, objeto ou arquitetura. É uma verdadeira aula, onde aprende-se a apreciar o belo.

Festas populares

Carnaval – início do ano, coincidindo com o restante do país.
Festival Amazonas de Ópera – no Teatro Amazonas de abril a maio.
Mês do Mestiço e do Caboclo – 24 de junho
Arraial de Festa Junina na praia da Ponta Negra
Festival Amazonas de Jazz – julho – Teatro Amazonas
Feira Internacional da Amazônia – julho – aconteceu de 18 a 21/11/2015
Samba Manaus – entre setembro e outubro
Amazonas Filmes Festival – de outubro a novembro – em 2015 ocorreu em dezembro.
Boi Manaus – aniversário da cidade – 24 de outubro, com três dias de festas consecutivas

 

5 Parque Ecológica Janauari

Parque Ecológico Janauari

5a Parque Ecologico Janauari

Inúmeras agências de turismo, oferecem passeios à região, incluindo passeios pelos igarapés, que se for feito em barcos pequenos motorizados, pode-se colocar as mãos na água e sentir as diferentes temperaturas de um para outro igarapé e observar os animais da floresta como pássaros, macacos e preguiça. Tudo isso pode ser feito no Parque Ecológico de Janauari. Podendo-se observar, ainda, a bela Vitória Régia, que possui uma vida muito curta e chega a medir um metro e oitenta de largura.

 

6 Bumbódromo

Bumbódromo

Parintins, segunda maior cidade do estado, sendo conhecida principalmente por sediar o Festival Folclórico, uma das maiores manifestações culturais da América Latina. Formada pela vegetação típica da região amazônica, com florestas de várzea e de terra firme, tendo em seu entorno lagos, ilhotas e uma pequena serra.
O Festival Folclórico de Parintins dura somente três dias, no final do mês de junho. Mas durante o ano inteiro a cidade é dividida em duas cores: a vermelha, do boi Garantido; e a azul, do Caprichoso. Quando chega a festa, a rivalidade toma conta do Bumbódromo, um estádio construído especialmente para o evento.
Os voos para Parintins partem de Manaus e duram hora e meia, sendo difícil conseguir lugar em cima da hora. De barco dura cerca de 18 horas. Entre os programas estão o banho no rio Uicupurapá, o passeio pelo Lago Macurany, compra de artesanatos indígenas e a degustação de delícias regionais à base de peixes e frutas exóticas. A partir de agosto, onde as águas do rio baixam, pode-se aproveitar as praias do rio.

Comidas típicas

São bem variadas tendo componentes de migrantes de outros estados e pela influência dos povos indígenas. Entre os mais tradicionais estão o Tacacá, os peixes assados, fritos ou ensopados e o Pato ao Tucupi.
Entre s frutas encontram-se o açaí, graviola, cupuaçu, pupunha, pitomba, melancia, tucumã, taperabá, biribá, abio, buriti, patuá e o famoso guaraná da Amazônia. Entre os peixes de água doce encontram-se, para se comer assado, frito ou cozido, o tambaqui, tucunaré, pirarucu, jaraqui, pacu e Matrinchã.

Onde ficar

Manaus – tarifas de hotéis dependem muito do período do ano, divididas em baixa e alta temporada, que são os períodos de férias escolares, final de ano, carnaval e festas típicas regionais. Assim sendo, ligar e negociar preço com três ou mais hotéis, ainda é a melhor opção. O centro da Cidade Velha fica mais próximo dos pontos turísticos. O mesmo se aplica para Parintins, que durante os festejos juninos e do Festival Folclórico, tem o fluxo de turistas muito aumentado.

Aluguel de carros

Caso necessite alugar um carro, tanto em Manaus quanto em Parintins, existem as empresas tradicionais e mais conhecidas deste mercado, bem como empresas locais, que podem ser pesquisadas e negociados valores de diárias.

Curiosidades

– As áreas de França. Espanha, Suécia e Grécia, somadas, caberiam dentro do estado do Amazonas
– Densidade demográfica de 2,23 habitantes por km²
– 98% de sua área coberta por floresta preservada
– Maior manancial de água doce do planeta
– Maior rede hidrográfica do mundo
– Possui o ponto culminante do Brasil = Pico da Neblina
– Atraídos pelo ciclo da borracha, os nordestinos se instalaram em importantes cidades amazonenses como Manaus, Tabatinga, Parintins, Itacoatiara e Barcelos, a primeira capital do Amazonas, também chamada de “capital do peixe ornamental. ”

Ciclo da Borracha – a partir de 1890 experimentou o crescimento populacional e econômico, resultante da exploração da borracha natural e, em função disso, a capital amazonense recebeu grandes obras como o Porto de Manaus, o Teatro Amazonas, o Palácio da Justiça, o Reservatório de Mocó, a primeira rede de energia elétrica e os serviços de transporte coletivo de bondes. O Brasil exportava para a Europa e para os Estados Unidos até que à partir de 1910, a Malásia começou a exportar sua borracha acarretando a falência econômica amazonense.

Zona Franca de Manaus – o projeto foi implantado pelo Regime militar brasileiro em fevereiro de 1967, com o objetivo de promover a ocupação populacional da região e refrear o desmatamento.
De 1967 até 2011 a história de modelo da Zona Franca de Manaus era dividida em quatro fases:
• 1967 – 1975 – política industrial de referência no país para estímulo à substituição de bens finais e formação do mercado interno;
• 1975 – 1990 – adoção de medidas que fomentassem a indústria nacional de insumos;
• 1991 – 1996 – entrou em vigor a Nova Política Industrial e de Comércio Externo, marcada pela abertura da economia brasileira, redução de impostos de importação para o restante do país com ênfase na qualidade e produtividades;
• 1996 – 2002 – adaptação à economia globalizada e ajustes do Plano Real.

Autor: Levy

Compartilhe este artigo no

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *